sexta-feira, 11 de março de 2011

Educação a distância no Brasil

Livro tem como objetivo ampliar a discussão sobre aprendizagem a distância no Brasil

Escrito pelo professor Fredric M. Litto, presidente da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED), o livro “Aprendizagem a Distância” visa esclarecer dúvidas e discutir posições conservadores dos educadores

“Aprendizagem a Distância”, do pesquisador da Escola do Futuro da USP e presidente da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED), professor Fredric M. Litto, tem como objetivo desmistificar o tema e ainda apresentar propostas e soluções para implantar esta modalidade de ensino. A obra conta ainda com ilustrações de Paulo Caruso.

Os tempos atuais exigem que as pessoas economicamente ativas estejam em constante atualização dos seus conhecimentos, habilidades e competências. Este, de acordo com o autor, é um dos fatores que impulsionam a EAD. O especialista defende que a modalidade de ensino já se consolidou como um facilitador para o acesso ao conhecimento e à certificação profissional de pessoas que antes não tinham a possibilidade de se aperfeiçoar por serem portadoras de necessidades especiais, por morar longe dos grandes centros de estudos, ou ainda por não ter condições econômicas para se dedicar aos estudos. “Ter a possibilidade, sem sair de casa, de estudar com celebrados docentes das mais prestigiadas instituições acadêmicas do mundo, é mais um entre os múltiplos benefícios que a aprendizagem a distância oferece”, menciona o professor Litto.

Professor Litto acredita que vivemos uma fase educacional transitória, saindo de um ambiente educacional elitista, unidirecional, com informação passando do professor ao aluno e pobre em recursos. “E como toda mudança, há uma resistência muito grande. Muitos educadores ainda não conseguiram soltar os laços nostálgicos com a forma pela qual eles mesmos aprenderam. Essa posição conservadora, que mantém apenas as estratégias pedagógicas do passado, milita contra o estabelecimento de um novo ambiente para a aprendizagem.”, defende.

No entanto, o autor percebe que a aceitação da aprendizagem a distância, tanto dentro da sociedade em geral quanto dentro da comunidade de profissionais da educação, continua crescendo. “A distinção histórica entre a educação a distância e a presencial está diminuindo, ao ponto de um educador afirmar que a proximidade física de professores e alunos dentro de espaços institucionais ou locais de aprendizagem em momentos específicos não é mais necessária”, conta o especialista.

O livro explica como funciona a EAD, quais as suas limitações e possibilidades, além de apresentar perspectivas a respeito do assunto. O autor relaciona, no final do livro, sites que contêm recursos digitais úteis para a aprendizagem formal ou não-formal, com textos, imagens estáticas (mapas, gráficos, desenhos, ou fotografias) ou animadas (vídeos, filmes), arquivos de som, e objetos de aprendizagem.

Aprendizagem a Distância
Fredric M. Litto com ilustrações de Paulo Caruso
Imprensa Oficial do Estado de São Paulo
96 páginas - R$ 30,00

quinta-feira, 10 de março de 2011

Conferencista Internacional em SC

Antônio Nóvoa é doutor em Educação, catedrático da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação e vice-reitor da Universidade de Lisboa.
O educador português estará abrindo o evento da 9ª JORNATEC em Florianópolis, falando sobre o papel do professor com o tema “Nada substitui um bom professor”.
Em suas palestras destaca a qualificação profissional e o aprender contínuo de professores como motores para a melhoria do ensino.
Seu mais recente livro intitulado Professores Imagens do Futuro Presente/2009, que ainda não foi publicado no Brasil, mas sua cópia está autorizada pelo próprio autor, faz um retrato do que existe na educação com uma visão do que será... 
No primeiro capítulo do livro uma pergunta que não cala, Professores: O futuro ainda demora muito tempo? Onde o autor relata que assistimos, nos últimos anos, a um regresso dos professores à ribalta educativa, depois de quase quarenta anos de relativa invisibilidade. A sua importância nunca esteve em causa, mas os olhares viraram-se para outros problemas: nos anos 70, foi o tempo da racionalização do ensino, da pedagogia por objetivos, do esforço para prever, planificar, controlar; depois, nos anos 80, vieram as grandes reformas educativas, centradas na estrutura dos sistemas escolares e, muito particularmente, na engenharia do currículo; nos anos 90, dedicou-se uma atenção especial às organizações escolares, ao seu funcionamento, administração e gestão. Já perto do final do século XX, importantes estudos internacionais, comparados, alertaram para o problema das aprendizagens. Os professores reaparecem, neste início do século XXI, como elementos insubstituíveis não só na promoção das aprendizagens, mas também na construção de processos de inclusão que respondam aos desafios da diversidade e no desenvolvimento de métodos apropriados de utilização das novas tecnologias.

Livro: Professores Imagens do futuro presente EDUCA Lisboa | 2009 EDUCA Instituto de Educação Universidade de Lisboa Alameda da Universidade 1649-013 Lisboa | Portugal Professores: Imagens do futuro presente © António Nóvoa

RSS FeedRSS

 
Design de Free WordPress Themes | Senac - Administração Regional em Santa Catarina | Setor de Marketing e Comunicação