quinta-feira, 31 de março de 2011

Bibliotecas virtuais: Plataforma de conhecimento


O Centro Edelstein de Ciências Humanas, no Rio de Janeiro, unificou suas quatro bibliotecas virtuais em um único portal na internet.
De acordo com o diretor do Centro Edelstein, Bernardo Sorj, professor aposentado da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o objetivo da iniciativa foi facilitar o acesso gratuito de pesquisadores ao acervo de mais de 40 mil textos que o Centro desenvolveu nos últimos anos em parceria com outras instituições com base na constatação de que as publicações científicas brasileiras e latino-americanas na área de ciências humanas não atingem o público do exterior.
“Acreditamos que o meio virtual seja o mais adequado, o mais econômico, o mais democrático e o que atinge melhor o objetivo de uma publicação científica, que é o de disseminar a produção do conhecimento entre os cientistas da forma mais ampla possivel", afirmou.

O professor Sorj conta que, ao criar as bibliotecas virtuais, o Centro Edelstein pretende demonstrar a viabilidade e relevância do projeto e estimular outras instituições a lançar iniciativas semelhantes.

As bibliotecas virtuais do Centro Edelstein registram de seis mil a 10 mil acessos de pesquisadores localizados por mês, do Brasil e de diversos outros países. Em média, os acessos duram entre 6 e 10 minutos, que é muito superior ao tempo de acesso registrado pelos sites convencionais, de acordo com Sorj.

As quatro bibliotecas virtuais do Centro Edelstein podem ser acessadas em: http://www.bvce.org/.

terça-feira, 29 de março de 2011

"Tabuleiro Digital", projeto inspirado nas mesas de acarajé

O professor Nelson de Luca Pretto, licenciado em Física pela Universidade Federal da Bahia, Mestre em Educação também pela UFBA e Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo. Estará na 9ª Jornatec proferindo palestra sobre o tema “Escola: Um Espaço de Conexões não Lineares”.
Nelson Pretto tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação e Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: internet, educação e comunicação, informática educativa, tecnologia educacional, software livre, acesso aberto e educação a distância.
É o responsável pela concepção do projeto de inclusão sociodigital denominado "Tabuleiros Digitais" [http://www.tabuleirosdigitais.org] desenvolvido pela Faculdade de Educação da UFBA. Estamos falando de um projeto de inclusão digital com terminais   de computadores ligados à Internet, rodando software livre por 24 horas, “promovendo o acesso gratuito ao mundo da informação e o exercício da cidadania”, palavras do professor.
O projeto foi desenvolvido pelo grupo de pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologias e precisou ainda de uma série de parcerias dentro da própria Universidade. Criado em janeiro de 2004, o projeto está prestes a completar seis anos de trabalho com uma proposta de acesso aberto, gratuito e comunitário à internet.
Desde 2005, a cidade de Irecê ( Bahia), valendo-se do uso de software livre, permite o acesso à educação, cultura, ciência e tecnologia à sua comunidade. Para desmistificar qualquer idéia de alto custo ou sofisticação batizaram o projeto de Tabuleiro Digital, aproveitando o design simples e funcional dos tabuleiros de acarajé.
O professor Nelson Pretto, coordenador do grupo idealizador do projeto, explica o conceito por trás dos tabuleiros: “É fundamental para esses projetos que a liberdade e autonomia estejam em primeiro plano. Associado a isso, uma concepção de ética que valorize o bem público comum e esteja centrada em princípio como a generosidade, a colaboração, o companheirismo, em oposição à perspectiva comercial".
Para conhecer outras curiosidades sobre o projeto basta acessar http://www.idbrasil.org.br/ , ou http://www.ici.ufba.br/

segunda-feira, 28 de março de 2011

Plataforma de redes sociais no Ano Internacional da Química

A Sociedade Brasileira de Química (SBQ) realizou na quarta-feira, dia 23 de março a abertura do Ano Internacional da Química (AIQ) no Brasil. Os objetivos do Ano Internacional da Química, instituído pela Unesco, são de celebrar as grandes descobertas e os avanços científicos e tecnológicos da Química, demonstrar sua importância para a humanidade e aumentar o interesse dos jovens pelo estudo dessa ciência.

Com o tema Química para um Mundo Melhor, o AIQ comemora o centenário do Prêmio Nobel de Química concedido à cientista polonesa Marie Curie.

Com foco no público jovem e nos formadores de opinião, o AIQ será comemorado no Brasil com a realização de eventos e atividades de divulgação científica, que enfatizarão a Química como uma ciência criativa e essencial para a sustentabilidade e melhoria de qualidade de vida da população.

Atividades como leituras, exposições e experimentos mostrarão como a pesquisa química apresenta soluções para os problemas globais: alimentação, água, saúde, energia, transporte e outros temas da atualidade.

Estão previstos um web-jogo e a distribuição, em escolas e comunidades, de kits educativos contendo livro e jogo-brinde sobre a Química no cotidiano e como profissão.

Na ocasião da abertura foi  oficialmente lançada a plataforma de redes sociais, que inclui um blog, perfil no twitter, página no facebook e canal no YouTube.

O conteúdo é dirigido especialmente para o público jovem e tem a intenção de "traduzir" a Química para o dia a dia das pessoas. Blog AIQ http://blog.quimica2011.org.br. Para curtir o AIQ no facebook e compartilhar informações sobre Química no cotidiano, acesse http://www.facebook.com/AIQ2011. Siga o AIQ no twitter em: www.twitter.com/@aiq2011.

RSS FeedRSS

 
Design de Free WordPress Themes | Senac - Administração Regional em Santa Catarina | Setor de Marketing e Comunicação